Novos rumos do mercosul:

a flexibilização como possível alternativa?

  • Gabriel Ralile de Figueiredo Magalhães Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Brasil.
Palavras-chave: Comércio Exterior. Integração Regional. Mercosul. Política Comercial Internacional. Relações Internacionais.

Resumo

O presente trabalho visa debater a flexibilização da política de assinatura de acordos do Mercosul como alternativa para se criar competitividade internacional para os países do bloco, sobretudo o Brasil. Para isso, o estudo se utiliza tanto de um levantamento bibliográfico, como também da análise de documentos oficiais pertinentes. Também será feita uma comparação entre a estrutura do Mercosul e da Aliança do Pacífico em prol de ilustrar os potenciais impactos de um modelo com maior flexibilidade, com isso se estabelecendo um parâmetro. O objetivo almejado é averiguar os possíveis efeitos e benefícios de uma flexibilização, bem como apresentar alguns métodos para tal. Ao final, conclui-se que os países podem ter vantagens com essa mudança de política sem que, contudo, deixem de defender a manutenção e expansão de um Mercosul forte. Ainda, são levantadas propostas para o aprofundamento do tema e evolução do debate.

Biografia do Autor

Gabriel Ralile de Figueiredo Magalhães, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Brasil.

Bacharel em Relações Internacionais, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro –PUCRJ. MBE/A em Comércio Exterior, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro –UFRJ. Bacharelando em Direito, pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ. E-mail: <ralilegabriel@gmail.com>. ORCID: <https://orcid.org/0000-0002-0453-155X>.

Referências

ALIANZA DEL PACÍFICO. Acuerdo Marco de la Alianza del Pacífico. 2012. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2020.

ALIANZA DEL PACÍFICO. Protocolo Adicional al Acuerdo Marco de la Alianza del Pacífico. 2014. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2020.

ARAUJO, André Leite; ARAUJO, Flavia Loss. 27 anos de Mercosul: um balanço positivo ou negativo? Observatório Regionalismo. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2020.

AUREA, Adriana Pacheco; GALVÃO, Antonio Carlos. Importação de tecnologia, acesso às inovações e desenvolvimento regional: o quadro recente no Brasil. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2020.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2020.
BRASIL. Decreto n° 1901, de 09 de maio de 1996. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2020.

BRASIL. Decreto n° 350, de 21 de novembro de 1991. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2020.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA. Agenda para o Mercosul 2019: um novo impulso para o bloco. Brasília: Confederação Nacional da Indústria, 2019. Disponível em: . Acesso em: 21 abr. 2020.

DIB, A. C. Em contraste com o Brasil, Chile usa acordos comerciais para reduzir tarifas de importação. Comex do Brasil. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2020.

DIRECCIÓN GENERAL DE RELACIONES ECONÓMICAS INTERNACIONALES DE CHILE. Acuerdos comerciales. Ministerio de Relaciones Exteriores, 2019. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2020.

FERRAZ, Lucas Pedreira do Couto; ORNELAS, Emanuel Augusto Rodrigues; PESSOA, João Paulo Cordeiro de Noronha. Política comercial brasileira: estratégias de inserção internacional. São Paulo: Fundação Getúlio Vargas Escola de Economia de São Paulo, 2018.

FLORÊNCIO, Sérgio de Abreu e Lima. Trajetória do Mercosul e mudança de paradigmas da política externa brasileira: possíveis interpretações para a crise do bloco. Boletim de Economia e Política Internacional, n. 19, p.59-73, jan./abr. 2015.

IGLESIAS, Simone; OLIVEIRA, Eliane; VALENTE, Gabriela. Brasil quer que Mercosul permita acordos comerciais em separado. O Globo. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2020.

LUIGI, Ricardo; PENNAFORTE, Charles. Mercosul: entre o sucesso e o fracasso total. Revista Mundorama. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2019.

MILLAR, Rupert. Breaking: UK and Chile sign trade agreement. The Drinks Business, 2019. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2020.

MINISTERIO DE COMERCIO, INDUSTRIA Y TURISMO DE COLOMBIA. Tratados de Libre Comercio: acuerdos vigentes. 2019. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2020.

MINISTERIO DE COMERCIO EXTERIOR Y TURISMO. Acuerdos comerciales del Perú. 2019. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2020.

ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERICANOS. Mercosul/CMC/Dec. nº 32/00. Disponível em: . Acesso em 06 abr. 2020.

RESENDE, Alberto. Em reunião hoje, Mercosul tenta resolver impasse do "Brexit argentino". 2020. Disponível em: . Acesso em: 09 mai. 2020.

REUTERS. BRASIL tem acordos de livre comércio pouco relevantes e é limitado por Mercosul, diz FGV. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2020.

SECRETARÍA DE ECONOMÍA. Comercio Exterior / Países con Tratados y Acuerdos firmados con México. Gobierno de México, 2015. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2020.

THE WORLD BANK. Trade % of GDP 1960-2017 – World Bank national accounts data, and OECD National Accounts data files, 2019. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2020.

VAZ, Alcides Costa. O relançamento do Mercosul. Meridiano 47 Boletim de Análise de Conjuntura em Relações Internacionais, n.1, p.3-4, jun. 2000.

WORLD TRADE ORGANIZATION. Regional trade agreements database. 2020. Disponível em: . Acesso em: 18 jun. 2020.
Publicado
2020-06-21
Como Citar
Magalhães, G. R. de F. (2020). Novos rumos do mercosul: : a flexibilização como possível alternativa?. Cadernos Eletrônicos Direito Internacional Sem Fronteiras, 2(1), e20200103. Recuperado de https://cadernoseletronicosdisf.com.br/cedisf/article/view/65